19 julho 2011

Elis Regina e o croché

Têm abaixo duas citações que encontrei em relação à Elis Regina e o croché. Veja você! Aproveite e ouça estas duas lindas músicas "Formosa", de Baden Powell e Vinicius de Moraes, é pena que ela não tenha conseguido cantar e "É com esse que vou". Adoro os arranjos elegantes de César Camargo Mariano para os sambas.


Do livro "Furacão Elis", de Regina Echeverria, 3ª edição, 2002.
“"Sua bolsa era um fenômeno à parte. Tinha tudo: de alicate de unha a estojo escolar com lápis, canetas. Tinha maquiagem, espelhos, caderninhos e caderninhos... Um para cada coisa.

"Elis gostava de fazer tapetes, tricô, crochê, e tinha uma máquina de costura. Fez o enxoval dos filhos, bordou camisinha pagão. Certa época, decretou o fim da empregada à noite: ela mesma fazia tudo, cozinhava para todo mundo.”


Do jornal Folha de São Paulo, Revista São Paulo, de 26/06/2011, “Cantoria na Cantareira”.
“Não faltam causos sobre os tempos de convivência com a notável gaúcha (Elis Regina). "O português do açougue aqui da Cantareira dizia que ela entrava, já pegava a faca e cortava a carne do jeito que gostava", conta Zé Geraldo, que há dois anos se rendeu à região e mora na serra por insistência dos amigos.

"Ela também reunia as vizinhas para fazer crochê e andava de transporte coletivo mesmo sendo famosa", conta Renato.”






  • HOJE - AUJOURD’HUI Aujourd’hui je suis très sensible, Je me sens un poète, un écrivain, Ceux qui écrivent des choses sensibles, Choses avec émotion, d’un seul éla...
    Há 2 meses